Água, fonte de vida - Verdades e Mitos

04 Jan, 2019
Água, fonte de vida - Verdades e Mitos

A água de consumo humano é aquela que se utiliza para beber

Mito. A água destinada ao consumo humano é toda aquela utilizada para beber, cozinhar, tomar ba­nho, lavar as mãos, lavar a roupa, lavar os alimentos, bem como a água utiliza­da na indústria alimentar ou que contacte super­fícies/utensílios que vão ser utilizadas para acon­dicionar ou manipular alimentos.

A água cristalina e fresca pode conter contaminantes prejudiciais à saúde

Verdade. O facto da água se apresentar fresca e agradável não significa que esteja isenta de bac­térias ou de substâncias químicas prejudiciais à saúde. É frequente encon­trar em água de captações privadas, nomeadamente poços, contaminantes de origem fecal ou nitra­tos, normalmente pro­venientes de actividades agrícolas ou pecuárias. A presença de alguns metais pesados como o arsénio ou o chumbo também não são perceptíveis.

Para utilizar água de uma captação privada é necessário uma licença

Verdade. Pode ser um poço ou furo, ou qualquer outra origem de água cap­tada por um utilizador privado. É obrigatório o licenciamento prévio para uma das seguintes utiliza­ções: rega, uso industrial ou consumo humano. A licença deve ser requerida à APA (Agência Portu­guesa do Ambiente).

Ninguém é obrigado a ligar-se à rede pública

Mito. “É obrigatória para os utilizadores a li­gação aos sistemas muni­cipais respectivos” (Lei da água 12/2014). Se a rede pública estiver disponível a menos de 20 metros do limite da propriedade, devem ser desactivadas todas as captações par­ticulares utilizadas para consumo humano. Para rega, para alimentação animal ou para uso in­dustrial não é obrigatória a ligação aos sistemas públicos.

A água de uma captação privada pode ser corrosiva ou incrustante

Verdade. Em Portugal existem muitas captações com água de pH baixo e baixas concentrações de cálcio e magnésio que lhe conferem a cap